quarta-feira, 7 de abril de 2010

OS PERIGOS DO DESVIO ESPIRITUAL

OS PERIGOS DO DESVIO ESPIRITUAL – LIÇÃO 2

INTRODUÇÃO

"Porque o meu povo fez duas maldades: a mim me deixaram, o manacial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas" (Jr 2.13).

Através de todo o texto bíblico encontramos várias figuras de linguagem que são utilizadas pelos autores sagrados com o propósito de nos ensinar algo sobre o Ser divino. No texto acima temos "manancial de águas vivas", esta é uma representação clara, objetiva e de fácil compreensão, pois todos sabem da importância e dos benefícios que uma fonte de águas vivas poderá gerar para um povo. Principalmente, quando esse povo está vivendo em um deserto. No contexto espiritual podemos afirmar que o mundo vive em um deserto, as almas dos homens estão sedentas, e por isso estão perecendo. Porém, Deus é a fonte de vida, só ele pode saciar a alma humana, a nossa vida depende Dele. Cristo estava pensando nessa figura de linguagem, quando se apresentou aos judeus como esse "manancial de águas vivas", ao dizer: "Se alguém tem sede, que venha a mim e beba" (João 7.37).

A expressão "manancial de águas vivas" também se refere a natureza abundante da vida que temos em nossa comunhão com Deus. Nesse texto temos o confronto de duas figuras de linguagem totalmente antagônicas, uma "cisterna rachada", que não retêm as águas, e um "manancial de águas vivas". Ao atentarmos para a diferença entre uma cisterna e uma fonte, observamos que uma cisterna é apenas um reservatório, um lugar para depositar águas; ela somente mantém ali o que é depositado. Uma água depositada numa cisterna por muito tempo, fica estagnada, muda de cor (fica rota), muda de gosto, cheira mal e se torna ofensiva à saúde das pessoas. Com uma fonte a situação é totalmente diferente, pois, existe um fluxo de águas constante. A água está sempre em movimento, o que faz com que ela seja sempre renovada. A fonte produz águas cristalinas, que nunca cheiram mal, produz alegria e vida para a alma sedenta. Temos um "manancial de águas" , por isso, nunca faltará água, porque a fonte é eterna. "Jesus respondeu e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus e quem é o que ti diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva." (Jo 4.10). Observe ainda o que Jesus diz a Mulher Samaritana "mas aquele que beber da água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna" (Jo 4.14).

A APOSTASIA DA NAÇÃO DE JUDÁ

Apostasia conforme o termo grego - αποστασια [apostasia] (Substantivo feminino). Do verbo αφιστημi [aphistêmi] "separar, abandonar" . Apostasia pode significar: rebelião, queda, deserção, abandono, afastamento. No contexto da fé, apostatar é mudar propositadamente de atitude, rebelando-se contra Deus, quebrando a aliança assumida com Ele. O apóstata não só deixa Deus, como comete adultério espiritual, trocando o verdadeiro Deus por algum ídolo ou qualquer outra coisa. Deus manda o profeta dizer ao povo, vocês não só me deixaram, o "manancial de águas vivas" mas me trocaram por "cisternas rachadas". Não devemos confundir apostasia com uma queda espiritual momentânea, pois, como a realidade tem nos mostrado, muitos cristãos são sufocados pelas lutas e adversidades que enfrentam e as alguns acabam sofrendo uma interrupção na caminhada da fé, porém, são novamente fortalecidos pela palavra do Senhor, erguem-se e continuam a suas carreiras. O verdadeiro aposta faz uma opção refletida e consciente no tocante sua deserção do caminho da fé, porque ele foi seduzido e enganado por palavras falsas, e por isso passou a desprezar a Palavra do Deus verdadeiro.

- JUDÁ FEZ UMA TROCA INACREDITÁVEL

(Adaptação de texto do livro: Mensagens do A. T. para os nossos dias. Page H. Kelly. Ed. Juerp, pgs. 139, 140)

O grande perigo do desvio espiritual se caracteriza pelo fato de que as pessoas perdem a noção de valor. Essa condição promove a queda e consequentemente a apostasia. A falta de uma vida Espiritual fez com Esaú trocasse a benção hereditária da primogenitura por um prato de comida. No Novo Testamento vemos o filho pródigo trocar o conforto da casa de seu pai por uma vida dissoluta, a qual lhe proporcionou muito sofrimento e constrangimento. Citei esses casos não exemplo de apostasia, mas como exemplos de desvio espiritual para mostrar que o ponto de partida para a apostasia é essa perda da noção dos valores espirituais.

Será que alguém trocaria uma mansão de 25 milhões de dólares em Nova York por um casebre em alguma comunidade carente do Brasil, é obvio que qualquer criança responderá que não!. Assim fica melhor para nos voltarmos para o nosso texto (Jr. 2. 13). Pois, no caso do povo de Judá, essa não seria a resposta apropriada, porque esse povo praticou uma ação inacreditável, eles trocaram um manancial de águas correntes por cisternas rotas e rachadas. Se alguém fizesse isso forma literal poderíamos dizer que o tal não estaria com o seu juízo em estado perfeito. Por outro lado, atitude desse povo se processa no campo da fé e da religião, da mesma forma podemos dizer que espiritualmente, Judá cometeu a maior de todas as loucuras. No capítulo 2 Jeremias começa com Deus relembrando o bom relacionamento que tinha com Israel quando saiu do Egito. "Assim diz o Senhor: Lembro de ti, da tua afeição quando eras jovem, e do teu amor quando noiva, e de como me seguias no deserto, numa terra em que não se semeia. Então Israel era consagrado ao Senhor, e era as primícias da sua colheita; todos os que o devoravam se faziam culpados; o mal vinha sobre eles, diz o Senhor" (VV. 2 e 3). Mas tão logo saiu do deserto e entrou na terra de Canaã, Israel fez uma coisa inacreditável. Israel abandonou a Deus, a fonte de águas vivas. Esta é uma ação realmente inacreditável quando comparamos Israel com os seus vizinhos. Eles nunca conheceram o verdadeiro Deus. Os seus deuses eram ídolos, deuses de madeira e de pedra, deuses não existentes. Com tudo isto, os pagãos eram mais fiéis aos seus deuses de madeira e de pedra do que Israel era ao Deus vivo. Veja o que diz Jeremias: "Passai ás ilhas de Quitim, e vede; e enviai a Quedar, e atentai bem, e vede se sucedeu coisa semelhante. Houve alguma nação que trocasse os seus deuses, posto não serem deuses? Todavia o meu povo trocou a sua glória pelo que é de nenhum proveito. Espantai-vos disto, ó céus, e horrorizai-vos! Ficai verdadeiramente desolados, diz o Senhor" (2:10-12).

Entre todas as nações, somente Israel trocou o seu Deus. Trocou a vida pela morte. Trocou riquezas pela pobreza. Trocou a fonte pela cisterna. Por que Israel fez tal coisa? A razão principal foi que Israel foi atraído pela religião dos cananeus quando o povo entrou na terra de Canaã. Vindo do deserto, Israel trouxe uma religião que era austera e exigente. O Deus de Israel era um Deus santo, um Deus justo, um Deus zeloso. A primeira exigência que ele fez foi que aqueles que o adorassem não deveriam ter nenhum outro deus senão ele. Ele também exigiu que o seu povo fosse santo e sem mancha em sua relação com ele, e que fossem honestos e justos no seu tratamento uns com os outros. A religião que exigia dedicação total. A religião do Deus de Israel era uma religião que não permitia indecisão. Entretanto a religião dos cananeus era uma religião confortável, uma religião de conveniência. Os cananeus adoravam muitos deuses, mas não eram fiéis a nenhum deles. Os seus deuses exigiam pouco dos seus adoradores, e lhes permitiam a satisfação de todos os seus desejos sensuais, em nome da religião. Desde o primeiro contato com a religião dos cananeus, os israelitas foram tentados a trocar a religião exigente dos seus antepassados por uma religião mais conveniente.

Portanto os Israelitas abandonaram a Deus porque o seu culto era difícil demais. Eles desejavam a coroa, mas sem a cruz. Quando perceberam que Deus era exigente e queria consagração absoluta da parte do seu povo, então decidiram procurar um deus menos severo e uma religião menos dura.

CONTINUA, AGUARDE.........

2 comentários:

  1. Olá! Graça e Paz. Passando para conhecer seu espaço e parabenizá-lo pelos bons conteúdos. Um fim de semana de muitas conquistas em Deus. Se quiser nos visitar será uma alegria.
    blogdamulhercrist.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Primeiramente ao adentrar nesta página reconheço seu valor e a importância de seu autor(a) para a nobre causa do Senhor Jesus Cristo.
    Dito isso, quero convidar você que está lendo estas minhas palavras, a prestar um pouco mais de atenção as revelações do Espírito Santo Verdadeiro em nossos dias. Por se tratar de um assunto de interesse universal, pediria sua amável atenção, em uma breve, mais com certeza, produtiva visita ao nosso blog, onde estão depositadas Revelações do Senhor Jesus Cristo, para as quais peço encarecidamente que nos ajude a divulgar. Pois estamos vivenciando um memento muito sensível da palavra profética. Desde já suplico as bênçãos do Pai, do Filho e do Espírito Santo Verdadeiro sobre todo aquele que atender esse nosso chamado em nome do Senhor Jesus Cristo. Clique em martins111 - João Joaquim Martins. OU http://joaorevela.blogspot.com/

    ResponderExcluir