quinta-feira, 4 de novembro de 2010

A IMPORTÂNCIA DA ORAÇÃO NA VIDA DO CRENTE – lição 6

Acho que talvez não seja até tão necessário dizer para algum cristão o quanto a oração é importante para a vida dele, pois de fato qualquer neo-converso está consciente disso, porém, é fundamental despertarmos o povo de Deus para a investir um maior tempo de suas vidas no altar do Senhor. Todos nós sabemos que o nosso êxito, seja na vida espiritual ou material está diretamente relacionado com a nossa vida de oração, porém, para muitos de nós falta fé , ousadia e determinação para lutarmos (perseverar) com Deus como fez Jacó, não abrindo mão da Benção.

Descobrimos a importância da oração a medida que aprendemos a viver numa total dependência de Deus, enquanto estivermos montados na auto-competência, por meio da qual pensamos estar realizando grandes feitos, nossas orações na verdade não passam de ladainhas com o intuito de formalizar a pratica religiosa. Talvez esse seja o grande propósito do sofrimento na vida do crente. Deus permite passarmos por muitas aflições, para que em todas elas tenhamos a oportunidade de aprendermos o quanto somos dependentes do Senhor, e assim exercitarmos essa dependência diariamente através de uma prática continua da oração. Somos sempre tentados à pensar que somos capazes, por isso, as vezes nos vangloriamos de alguma coisa, e quando assim agimos estamos ofendendo ao Pai celestial, o qual está com os seus cuidados sobre nós e supre todas as nossas necessidades. Grandes homens do V. T. como Moisés, Jeremias, Elias, Daniel e outros passaram por muitas angustias e lutas, porém, tais experiências lhes foram tremendamente úteis, porque a história de cada um deles nos ensina como esses homens eram dependentes de Deus nas mínimas coisas, demonstrado através de uma estreita intimidade que cada deles tinha com Deus. Quando oramos muito, estamos dizendo "eu preciso muito de Deus", porém, quando oramos pouco afirmamos o contrário. O Apóstolo Paulo diz que agora nós possuímos o bom cheiro de Cristo "Porque para Deus somos o bom perfume de Cristo, nos que se salvam e nos que se perdem" (2 Co 2.15) e apóstolo Tiago diz: "chegai-vos a Deus e Ele se chegará a vós". (Tiago 4.8). No Tabernáculo construído pelos israelitas existia o altar de incenso, e este prefigurava as nossas orações, pois ali o sacerdote queimava o incenso e o cheiro era agradável "as narinas do Senhor". Hoje em dia já não é necessário que sacerdote queime o incenso, pois, Jesus é o nosso sumo sacerdote, e nós possuímos o bom cheiro de Cristo, o único cheiro que agrada a Deus, por isso, para que as nossas orações sejam agradáveis a Deus precisamos estar em comunhão com o Senhor Jesus, exalando em nossas vidas o perfume de Cristo. Portanto, o que deve dar valor as nossa orações é a fragrância das nossas vidas. As orações do sacerdote subiam a Deus acompanhadas pelo incenso. Não é necessário seguirmos este exemplo e oferecer incenso enquanto oramos, pois nós pedimos em Nome de Cristo e naquele Nome há um aroma que nunca existiu no incenso (Cantares 1.3). Quando pedimos Em nome de Cristo, não podemos pedir coisas que não sejam do agrado de Deus, nem coisas contra a vontade Dele (Tiago 4.2-3). Ao mesmo tempo, quando pedimos Em nome de Cristo, pedimos com ousadia e com confiança, sabendo que naquele Nome há poder (Efésios 3.20). Não há limites ao poder de Cristo. Ele pode fazer tudo acima de qualquer esforço da nossa imaginação, pois Ele é acima de tudo e de todos (Efésios 1.20-21).

NA GRAÇA O PODER DA ORAÇÃO É INIMAGINÁVEL

Deus qur que alcancemos a compreensão de que temos ao nosso dispor um recurso muito poderoso, a oração. Essa compreensão de que as riquezas celestiais estão a nossa disposição ainda não é suficiente, pois além disso, necessitamos de ousadia para pedirmos que o Senhor nos entregue aquilo que Ele já conquistou pra nós. O escritor aos hebreus no (cap. 10.19-22) nos diz: "Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa". Mais uma vez nos deparamos com a tipologia do Tabernáculo. Os Evangelistas registram que no momento da morte do Senhor Jesus "o véu se rasgou de alto a baixo". Aqui podemos fazer uma maravilhosa ligação entre esses textos os quais nos proporcionam um grande ensino sobre a importância da oração. O véu era elemento que separava o lugar Santo do Santíssimo. No Santíssimo estava a Arca do Concerto com o Propiciatório, e no Yomkipur judaico, ou seja, "o dia do perdão", após realização do sacrifício e a aceitação por parte de Deus, o Senhor manifestava a sua Glória no Santíssimo e somente o sumo sacerdote podia contemplar a Shekiná do Senhor. Porém, no Salmo 84.11 temos uma grande promessa "Porque o SENHOR Deus é um sol e escudo; o SENHOR dará graça e glória; não retirará bem algum aos que andam na retidão". Então, conforme o escritor aos hebreus agora temos um caminho que Jesus nos consagrou pelo seu sangue, e por ele podemos nos apresentar na sala do trono, no santíssimo, e contemplarmos a glória de Deus. Para isso precisamos usar a ousadia do Espírito Santo em nossas vidas, crendo que a oração nos coloca diante do trono da graça e da glória do Senhor, podemos compartilhar do Poder Dele e ainda receber tudo o que necessitamos para crescermos na graça do Senhor Jesus, porque Ele não negará bem algum aos que andam em retidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário